Igreja e não-conformação


“Irmãos, pela misericórdia de Deus, peço que vocês ofereçam os próprios corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Esse é o culto autêntico de vocês. Não se amoldem às estruturas deste mundo, mas transformem-se pela renovação da mente, a fim de distinguir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é agradável a ele, o que é perfeito.”
Epístola aos Romanos 12.1-2 (Bíblia Pastoral)
.
A igreja é uma comunidade criadora, e o que ela cria são novas realidades geradas a partir de novas consciências. Em um mundo cada vez mais desumano a igreja é uma comunidade humanizante. Entretanto, uma comunidade que se intitule “igreja”, mas que ao contrário de humanização e não-conformação mental com a estrutura opressiva do mundo esteja produzindo acomodação ao “status quo” ou adaptação e ‘roupagem’ cristã aos regulamentos desumanizantes vigentes, já deixou de ser igreja, de fato, e ainda que cultue o Cristo é apenas como um totem.
.
Qualquer movimento ou teologia dita cristã, seja católica, pentecostal, reformada ou o que for, que cesse de ouvir os apelos do mundo-criação em meio às engrenagens do mundo-sistema, e se encerre-em-si empedrando consciências ou que absorva os “encantos” do sistema (como a teologia da prosperidade), há desertado de sua missão de ser sal e luz na terra.
Cada pessoa, diante de Deus, é sacerdote e sacrifício, e tem a vocação para condenar as estruturas de injustiça de sua mente e de sua sociedade e para discernir o novo que leva à justiça para o bem da vida.
.
A imagem é de um mural de Cerezo Barredo na Catedral Prelatícia de São Félix do Araguaia.
[Photo]*Eugene de Blaas*
"Uma inércia espiritual é nossa inimiga; uma tempestade talvez seja nossa amiga.
A controvérsia talvez provoque pensamento, e por meio dele talvez venha a
mudança espiritual necessária." Charles H. Spurgeon Viver no mundo é viver a
própria humanidade, é entender que o mundo não é um emaranhado de desgraça
contagiosa e sim que o mundo é constituído de pessoas iguais se forem observadas
de formas abrangentes e ao mesmo tempo únicas em seu universo particular. E que
estar no meio delas é praticar a fé, é estar além dos muros da religião
instituída de forma imóvel e assim cumprir o papel de um sal que despenca do
saleiro sobre um prato sem gosto. Tal imobilidade é causada pelas regras de não
contaminação com o mundo. A imobilidade só é transformada em mobilidade da massa
disforme para lançarem indivíduos kamikazes dispostos a tudo para cumprirem as
metas de seus líderes, com único objetivo de promover o monopólio da
integridade, do triunfo e de todas as promessas oriundas de Deus e com esse tipo
de ação organizada e tendenciosa só conseguem causar cenas
constrangedoras. Como pessoas que vão a uma festa que não é a fantasia usando máscaras, causando estranheza e afastamento para quem as observa e, contudo apresentado impacto pela piedade caricata.A ação e conscientização diferem da coação, não é necessário ser empurrado para agir com amor, pois a coação torna o amor falso e burocrático. O amor dado a algo por pura coação só fará com que aconteça a manifestação das obrigações sem a forma consciente daquele que age pela impetuosa graça.Virtuosidade, a prática do bem comum e sociabilidade estão na interação com o mundo. Não digo sobre absorver e muito menos de abrangências das coisas que não convém fazer. "Digo sobre se lançar sobre o mundo como um sal sobre o prato sem gosto." Sem ao menos pensar que o mundo é um caos de lepra movida pelo pecado e que existe um contágio eminente e que é preciso se proteger deste contágio.Não é preciso montar estratégias de guerrilha se escondendo em buracos para atacar o inimigo quando ele não estiver esperando. Tais estratégias são orquestradas por pessoas que só querem usar a força da massa disforme, massa que não é nem a sombra do corpo que caminha sobre uma autarquia provocada pelo Cristo.Seria bom que todo testemunho não fosse uma loucura empurrada e ensaiada por estrategistas de interesses escusos. Estrategistas que mantém o seu poder lançando migalhas de um falso poder aos desesperados. Ainda melhor seria se todo testemunho e toda vivência no mundo fosse algo natural do próprio ser que vive o sobrenatural da graça.Graça essa que transita sobre o mundo, graça que não está presa ou ainda a graça que não é controlada ou detida por poucos escolhidos. Contudo, uma graça que se espalha sobre o mundo dando-lhe o sabor da vida abundante.[Photo]
Marcadores: Crônicalizando

Ultimas Postagens

Ocorreu um erro neste gadget